• Dr. Rodrigo Tanus

Business Intelligence aplicado a Saúde. Novas tendências

As plataformas de business intelligence, estruturadas com foco em saúde, já estão presentes no mercado há um bom tempo. Sua principal função é a extração de dados, através de uma base consolidada, para demonstração de indicadores (KPI’s) operacionais, assistenciais, financeiros, entre outros, para influenciar gestores na tomada de decisão.

Grande parte dessa base de dados, foram extraídas de operadoras e seguradoras de saúde. A apresentação dessas informações, representadas pela codificação TUSS (terminologia unificada em saúde suplementar), refere-se a sinistros segmentados em consultas, procedimentos, exames, terapias, internações, cirurgias, entre outros. A partir da extração, mineração dessas informações, consegue-se definir um perfil populacional, seja doenças, comorbidades, fatores de risco, padrão de consumo, bem como o perfil dos prestadores de serviço. A fusão dessas informações, gera os dashboards e indicadores para tomada de decisão.

Apesar de entendermos a importância de uma ferramenta de BI com estas aplicabilidades, conseguindo estratificar a população e prestadores, com dados retrospectivos, e fatos já ocorridos, também fica muito claro o motivo na qual essa tecnologia precisa ser integrada a outras, bem como um núcleo de inteligência operacional:

  1. Necessidade de execução de um plano de ações a partir dos indicadores definidos;

  2. Integração com plataforma estruturada, para input de dados atuais da população por prestadores, afim de mensuração contínua do plano de ações;

  3. Análise preditiva, afim de prevenir eventos ou agravos.

Esta é a nova forma de aplicabilidade de importante ferramenta diagnóstica, afim de entregar sustentabilidade e Valor em saúde, principalmente para empresas, que são as grandes fontes pagadores da saúde suplementar.

9 visualizações0 comentário